Meu bebê está crescendo.

Segunda-feira, durante o almoço, sentado em sua cadeirinha, João Otávio esticou o bracinho, pegou seu pedaço de manga e começou a comer sozinho. Um grande passo para quem, até então, queria tudo na boca – literalmente. E ontem, depois de muito esforço e de desenvolver uma técnica própria e super elaborada de locomoção, ele engatinhou. Engatinhou de engatinhar, de verdade. Eu e o Fernando presenciamos a cena, e não posso falar por ele, mas meu coração se apertou: meu bebê está crescendo.

João Otávio vai completar oito meses na próxima quarta-feira, e meu Deus, como passa rápido! Até ontem ele era todo molinho e mal sabia que tinha mão, e até ante-ontem ele era do tamanho de um grão de arroz na minha barriga. Essa é uma constatação que venho tendo há alguns dias. Aos poucos, meu filhote deixa de ser um bebê e vai adquirindo ares de menino. Já tem cara de moleque, é forte e sapeca como tal. E deixa cada vez mais claro traços de seu temperamento.

Como bom ariano que é, ele é curioso e muito impaciente. É forte, teimoso e impulsivo. Gosta de coisas mais ácidas, adora banho, ama os controles remotos, não dá muita bola pros brinquedos e já descobriu que seu sorriso é meu ponto fraco. Só dorme se tiver uma manta no rosto. Faz um olhar sedutor que é só dele, me olha encantado, dá ataques de beijo e pula muito quase sempre que ouve seu nome. Pois é, meu pequeno já é cheio de presença, de vontades e determinação. E que sorte a minha poder acompanhar cada etapa de tão perto.

Benditos os que podem ver o desenvolvimento do seu filho. É um milagre diário, todo dia uma nova descoberta, todo dia um desafio, todo dia é cheio de aventuras. Por mais bem definida que seja a rotina, nenhum dia é igual ao outro e sempre tem algo a ser explorado. Meus últimos 8 meses foram longos, mas passaram voando. E por mais que eu espere as próximas fases, sinto uma dorzinha por ver o quanto tudo é tão rápido. E já tenho até um pouco de saudade de tudo – outro dia, eu percebi que nem sei mais pegar no colo um bebê menor!

Constantemente, faço uma anotação mental: “aproveita tudo, Jully! Devora cada minuto! Curte cada segundo que ele quiser estar nos teus braços, daqui a pouco o mundo será pequeno pra ele e terá pouco espaço pra ti! Aproveita enquanto ele é teu bebê, menina! O tempo é longo, os dias são desgastantes, mas vai passar, ele está crescendo e tu não terás outra oportunidade de ter teu bebêzinho no colo num piscar de olhos”.

Aniversário de 1 ano!!

Hoje o Blog está completando 1 ano!

um ano

 

Lembro-me bem do que escrevi no primeiro post: eu sabia, desde que engravidei, que acabaria fazendo um blog, porque precisava compartilhar muita coisa que fervia na minha cabeça.

Neste um ano, eu desabafei, compartilhei experiência, declarei meu amor e escrevi um monte de coisas que eu queria dizer e às vezes não conseguia.

Por causa do blog, tornei-me próxima de outras amigas grávidas e fiz algumas outras novas amizades! E, também por causa do blog, descobri que tem muita, mas MUITA gente mesmo que gosta de mim e que torce pela minha felicidade e da minha nova família!

A todos vocês, muito obrigada por acompanhar nossa trajetória, compartilhar experiência comigo, me consolar, dividir medos, angústias, sonhos e felicidade!

Que venha mais um ano do Blog!

Beijinhos, beijinhos, com sabor de bolo de festa de criança!

O último dia

Funciona mais ou menos assim: você acorda um dia sentindo que alguma coisa está acontecendo de diferente com você. Suspeita que pode ser gravidez, faz o exame e tem a confirmação. Se emociona, se assusta e começa a sonhar com  dia do nascimento. Vai ao médico, faz ultrassom e ele passa uma data provável de nascimento, que naquele momento parece ser dali a alguns anos-luz. Aí um dia, nove meses – ou 40 semanas – depois acorda e tcharam: já é aquele dia tão aguardado. Gravidez é tudo o que acontece nesse meio tempo.

Fazendo um breve resumo de tudo, é assim que me sinto. Estou a alguns dias sem escrever aqui, porque optamos por nos preservar nesse momento, então preciso atualizar quem me acompanha pelo blog. Como eu já havia dito, queria tentar parto normal, e ficamos esperando por isso. Nas últimas semanas, tenho sentido bastantes dores e mais desconfortos do que o normal. Se me perguntar, fica até difícil dizer onde dói, porque tudo incomoda. Apesar disso, o João Otávio não dá sinais de querer nascer e por causa disso marcamos cesárea.

Essa não era nossa primeira opção, mas também nunca foi descartada por completo. Acontece que nos últimos dias, eu e Fernando – e toda a família, pra falar a verdade – estamos morrendo de ansiedade, e antes que um de nós tenha um ataque cardíaco ou qualquer coisa parecida, decidimos marcar o parto. Então está marcado para hoje à noite.

Confesso que, por um lado, fico mais tranquila pela certeza de conseguir deixar todas as questões práticas resolvidas previamente, já que a possibilidade do contrário estava me deixando ainda mais ansiosa. Por outro lado, meu coração aperta por pensar que talvez pudéssemos esperar um pouco mais, embora a gente precise que ele nasça.

O último dia é assim: cheio de expectativa, ansiedade, alegria, um pouco de medo – afinal nunca fui adepta a cirurgias. Com a cabeça a mil, não consegui dormir essa noite, assim como não dormia em todas as últimas noites do mês. Ainda que eu tenha plena convicção de que gravidez é mesmo um momento único e mágico (já to até com um pouco de saudade), estou aliviada por saber que em breve meu corpo e meus hábitos voltarão a algo mais parecido com o meu normal.

Deu pra ver a confusão né: alívio, expectativa, saudade, tristezinha, uma irritação profunda por causa da ansiedade, coração apertado, alegria, tudo junto e misturado! Mas de tudo, o que sobressai é a felicidade imensa por saber que nosso bebezinho em breve – Meu Deus, falta muito pouco! – estará nos meus braços e vou poder conhecer seu rostinho, segurar sua mãozinha e começar a morrer de amor por ele. Já fico emocionada só de pensar!

Hoje recebi algumas mensagens e telefonemas desejando um monte de coisas boas pra gente. Fico muito feliz e agradecida pelo carinho de todos. Embora, como eu disse antes, quiséssemos nos manter mais quietinhos agora, acho que devia a quem acompanhou toda a minha gestação mesmo que a distância, que soubessem que hoje é o grande dia. De coração, muito obrigada pelas boas vibrações e energia positiva que nos mandam. Assim que der, eu volto contando sobre a nova etapa em nossa vida. Vida, que aliás, começa de novo a partir dessa noite.

 

Como é estar grávida

Há duas semanas atrás, uma menina me perguntou durante a aula de pilates: “Como é estar grávida?” Que perguntinha difícil de responder! Minha resposta foi aquele clichê mais antigo da humanidade: “não tem como explicar”. E não tem mesmo. Só uma mulher que tem ou espera um filho sabe qual é a sensação. Mas desde então não paro de pensar nisso.

Estar grávida é uma loucura, e isso é algo que vivo repetindo por aqui. João Otávio está quase nascendo e não há um dia que eu não pense no quão louco e espetacular é ter uma pessoinha dentro de mim. É gerar uma vida e ser responsável por um serzinho que depende, em cada célula do seu corpo, unicamente de você.

Estar grávida é morrer de ansiedade para conhecer seu filho e ao mesmo tempo, morrer de medo de colocar nesse mundão cada vez mais doentio uma criança completamente indefesa. E só por isso sentir o coração apertar de aflição.

Estar grávida é não conseguir imaginar sua vida de agora em diante sem uma pessoa que você sequer sabe com quem se parece – e eu desafio qualquer mulher grávida a dizer, sinceramente, que imagina sua vida sem seu bebê.

Estar grávida é viver numa gangorra emocional por conta dos hormônios. É se irritar a toa com qualquer palavra dita errada, e dois minutos depois chorar de emoção só de pensar em ter seus filhos nos braços.

Estar grávida é ver seus relacionamentos – todos eles – mudarem drasticamente. Amar ainda mais seus pais, ver alguns amigos cada vez mais distantes e outras se aproximarem de repente. É ter sua vida sob tutela dos outros – mentira! não é, mas às vezes é como se fosse, afinal todo mundo vai querer cuidar e dar muito palpite na sua vida. Por mais irritante que isso seja, você acaba se acostumando.

Estar grávida é não ter vergonha de ligar pro médico porque fez mais xixi do que o normal ou perguntar se você pode usar qualquer desodorante, por achar que seu bebê está sempre correndo risco. Outra mentira: você vai morrer de vergonha, mas vai perguntar mesmo assim, porque a ideia de perder seu neném é muito mais desesperadora do que o constrangimento que vai sentir. E juro, eu fiz isso.

Estar grávida é se emocionar muito, chorar além da conta pelos motivos mais bestas, é se sentir a pessoa mais especial do mundo por estar levando dentro de si o ser mais especial do mundo, mesmo sabendo que milhões de mulheres passam por isso todos os dias. Estar grávida é sensacional! E depois de tudo isso dito, é ter uma certeza: estar grávida é algo que você nunca vai conseguir explicar.

 

Ensaio Gestante

Marcamos e remarcamos nossa sessão de fotos um milhão de vezes. Eu queria fazer as fotos em janeiro, mas minha barriga não crescia o suficiente, deixamos para depois do carnaval, mas minha vida ficou uma correria e depois teve uma pequena falta de colaboração do clima.

Inclusive no dia que a fizemos, estava uma chuva de lascar, mas eu não podia mais adiar, então optamos por fazer em estúdio, e do estúdio resolvemos usar a casa dos meus pais como cenário. Totalmente diferente do que eu havia planejado, porque eu queria fazer na praia. Mas por fim, achei que o resultado ficou incrível, bem diferente e lindo!

Ah! Muitos dos looks foram da Mammy Fashion, minha parceira para essa sessão!

Separei algumas das minhas fotos preferidas para compartilhar com vocês!

 

Calça Mammy fashion, top branco de acervo.

Calça Mammy fashion, top branco de acervo.

Calça Mammy Fashion - mas que eu gostei tanto que acabei comprando, e top também da mammy! Lindo!

2013_sessaogestante_jully_41_of_110

Calça Mammy Fashion – mas que eu gostei tanto que acabei comprando, e top também da mammy! Lindo!

 

Vestido Mammy Fashion

Vestido Mammy Fashion

 

T-shirt Mammy Fashion

T-shirt Mammy Fashion

2013_sessaogestante_jully_89_of_110 2013_sessaogestante_jully_91_of_110 2013_sessaogestante_jully_103_of_110

 

 

 

E aí? Gostaram?

Eu amei! E não vejo a hora do João Otávio chegar pra fazer uma sessão inteirinha dele!

 

Barriga de Grávida

Tenho uma relação bastante controversa com a minha barriga: ao mesmo tempo que adoro, ela me causa incomodações profundas.
Admito que minha barriga nem é das maiores. Pelo contrário: precisei até adiar bastante minha sessão de fotos, por exemplo, porque a barriga não aparecia tanto quanto eu gostaria. Além disso, a minha é daquele tipo de barriga que eu sempre considerei linda: redonda, empinada, firme. Como não engordei tanto, praticamente a barriga é a única demonstração evidente da minha gravidez – embora eu tenha todos os outros sintomas que não são visíveis. De vez em quando, alguém me aborda na rua para elogiar minha barriga e dizer que está linda. Acho super engraçado, mas adoro e morro de orgulho, afinal me esforcei bastante para ter esse resultado.

2013_sessaogestante_jully_34_of_110
Ver a barriga crescer durante a gravidez é uma delícia. É como se o bebê começasse a se fazer presente, a gente vê se desenvolver, vê mudar de posição e quando os movimentos são mais intensos, percebe aquelas “ondinhas”, que na minha opinião, são a coisa mais linda. Mas conforme a barriga cresce, infelizmente vem o desconforto.
Em algum momento, todas nós teremos nossa posição determinada pelo bebê na barriga. Dependendo da posição do bebê, será inviável sentar reta na cadeira, por exemplo. Lá pelo quarto mês se tornou impossível dormir de bruços. E, de uma hora pra outra, você não conseguirá se abaixar e talvez precise até de ajuda para secar as pernas, fechar os sapatos e tirar a calça. Acrescente a isso o fato de que irá doer e pesar.
Eu adoro minha barriga de grávida, acho lindo de ver – não foi à toa a escolha do nome do blog, afinal é da barriga que a vida nasce! Vou sentir uma falta imensa de sentir os chutinhos, solucinhos e tudo mais. Honestamente, nem me lembro mais de como é não ter um bebê dentro de mim e tampouco consigo imaginar como será a sensação – dizem que é um vazio incrível! Entretanto, quanto mais o fim da gestação se aproxima, mais ansiosa fico para saber como será ter minha barriga de antes, afinal por mais linda que seja, será bom poder me movimentar normalmente outra vez.

Atenção: esse post receberá atualização em breve, com as fotos da minha barriga!

Super dica pra ficar linda!

Já comentei algumas vezes no blog, mesmo que de forma indireta, o quanto nossa autoestima pode ficar abalado durante a gestação. além dos hormônios nos deixarem numa confusão emocional danada, a gente engorda, cresce a barriga – não tem jeito – parecemos desajeitadas e a maioria das nossas roupas deixam de servir, e nem sempre as que servem ficam realmente boas.

Em meio a uma das minhas intermináveis crises – “eu tô gorda!”, “nada serve!”, “não dá pra saber se engordei ou se to grávida!” e por aí vai – eu descobri a Mammy Fashion, que é especializada em moda para gestantes. Há quem diga que é besteira, desperdício de dinheiro e tal. Eu sou do tipo total a favor de roupas para gestantes, por intermináveis razões. A primeira, e provavelmente mais óbvia de todas, é que durante esses nove meses de gestação você precisará de roupas, não tem como fugir. Usar calça jeans padrão se torna inviável com o tempo, simplesmente as calças não fecham. Usar vestidos, por mais confortáveis que sejam, também pode causar problema. Se você for como eu, que não engordou tanto, perceberá que os vestidos que servem na barriga, ficam largos nos seios, e os que ficam bons nos seios não passam pela barriga. E além do mais, a gente também quer andar na moda e se sentir bem.

tmb_544da8a1d332c557151ea00f8bab2bd5

Encontrei na Mammy a solução para meus problemas: além de ter várias roupas lindas, modernas e confortáveis, desde roupa básica até vestidos de festas, passando pelas lingeries para grávidas e amamentação, a gente é super bem atendida, coisa que faz toda a diferença nesse período de fragilidade total. As meninas são super atenciosas e delicadas em todo o atendimento e a gente sai de lá com o ego massageado, tanto pelos novos modelitos quanto pela gentileza que recebeu.

Me tornei cliente da loja, sem dúvida. Até brinquei com a minha mãe que, se eu soubesse, teria comprado shorts e bermudas jeans lá desde sempre: acreditem, faz diferença! Tanto eu adorei a Mammy que fechamos uma parceria e as roupas da minha Sessão Gestante foram cedidas pela loja (as fotos e os looks vocês vão poder conferir até semana que vem aqui no blog!)

tmb_6baa49aef573c8ff040b11e1bb2d3c1d

Uma vez comentei aqui no blog que penso que as coisas bacanas devem ser sempre compartilhadas. A Mammy é uma dessas coisas que eu acredito que vale a pena passar adiante. Há uma certa dificuldade em encontrar na região da Grande Florianópolis lojas especializadas nesse tipo de roupa. Quando a gente encontra, precisa passar a informação. Vale a pena passar na Mammy e conferir os modelitos, com certeza você vai sair de lá gostando ainda mais de estar grávida.

 

Ah! A loja está com promoção de verão e recebendo a coleção de inevrno. Não tem momento melhor pra dar uma conferida!

logo

Mammy Fashion em dois endereços:

Av. Rio Branco, 380 – Loja 09
Galeria do Edifício Barra Sul

contato@mammy.com.br

(48) 3322 4393

R. Domingos André Zanini, 277 – Loja 03
Edifício Empresarial Terra Firme

contato@mammy.com.br

(48) 3047 4393

Consulta com pediatra

Postzinho curto e rápido, pra dar uma dica bacana.

Comentei no último texto que fiz minha primeira consulta com pediatra no papel de mãe.

Tipo de coisa que para alguns pode parecer besteira, mas que eu achei uma das atitudes mais importantes como mãe até agora.

Primeiro porque a gente precisa levar os babies pra primeira consulta com até 10 dias de nascimento, e considero bem importante já saber com antecedência que médico procurar.

E segundo porque o pediatra pode dar várias dicas bem legais sobre os primeiros dias e meses com o neném para mamãe de primeira viagem, como eu.

No meu caso, tinha separado 3 médicos pra consultar, mas gostei tanta da primeira que nem marquei consulta com os outros.

Ela foi bastante atenciosa, solícita, anotou tudo. Sou tão inexperiente que não sabia nem quais perguntas tinha pra fazer, então ela me passou várias dicas importantes – até sobre que fraldas usar ou não, coisas que a gente precisa ter em casa, alimentação, amamentação e por aí vai.

De tudo o mais importante foi a dica sobre as visitas. Reforçou bastante a ideia de quão importante é os pais terem tempo para conhecer o bebê, da intimidade do casal, do tempo que precisam passar sozinhos com a criança, como as pessoas de fora podem atrapalhar mesmo querendo ajudar e que tanto mamãe quanto bebê precisam de ambiente tranquilo para a amamentação.

A forma mais bacana de encontra um médico é pela indicação de amigas com filhos. Lógico que cada uma vai ter uma opinião sobre o médico, mas a gente já vai direto nos que identificamos pelas histórias que serão de confiança. Na consulta, a gente consegue ver a postura do profissional, se tem paciência ou não, se vai dar pra recorrer a qualquer hora do dia, essas coisas, afinal para quem tá entrando nesse mundo, é fundamental se sentir à vontade para ligar pro médico em qualquer emergência, por mais besteira que a emergência possa parecer.

 

Chutes e outros movimentos

 

Demorei a sentir o João Otávio mexer. E, confesso, isso me frustrava um pouco, vivia ansiosa pelos famosos chutes do bebê na barriga.

Em compensação, nas últimas semanas esses movimentos têm sido constantes, e com cada vez mais força. Sempre esperei bastante pelos minutinhos antes de dormir em que ele se manifestava e eu sentia ele se movimentar. Agora já não preciso esperar tanto: durante o dia, se tornou constante receber uma cutucada, mexidinhas, socos e por aí vai.

Não que eu esteja reclamando. De forma alguma, continuo achando uma delícia esses momentos, principalmente quando identifico uma constância: sempre que coloco música – principalmente samba –  ou quando o Fernando acaricia a barriga, e por aí vai. Mas preciso admitir, mesmo que a contragosto, que às vezes é um pouco incômodo.

Hoje, por exemplo, desde que almocei, ele não parou. A  ponto de eu precisar mudar de posição, por conta da pressão que estava fazendo perto da costela. Já até brinquei que acho que ele deve estar tentando rasgar minha barriga, pra ver se sai por ela. Não dói, nem machuca e também é uma sensação que não dá pra explicar. Mesmo incomodo, é gostoso – dá pra entender?

Nos dias em que ele fica mais quietinho, eu estranho e fico até um pouco preocupada. Ainda que cause um certo desconforto – principalmente de madrugada, no melhor do sono – como eu disse antes, continuo adorando esses momentos, que são bem íntimos e particulares, já que sou a única que tem o privilégio de senti-lo até o nascimento. Talvez seja besteira pensar assim, mas vejo como mais um dos milagres da gravidez – afinal é ou não é uma loucura ter uma pessoinha se mexendo dentro de você?

Convite

Este post não é um jabá e nenhum tipo de propaganda.

É simplesmente porque eu acredito que as coisas bacanas devem ser compartilhadas.

No próximo fim de semana, a equipe da coaching Vanessa Tobias realizará o curso de Coaching para grávidas (os). O curso aborda uma série de temas ligados à gestação e maternidade, sempre com profissionais ligados a cada aspecto levantado e visa otimizar a gestação, a fim de preparar pais e mães para todo o processo confuso que está por vir.

Eu não fiz esse curso ainda, mas pretendo entrar na próxima turma. Mas já me inscrevi para a palestra, que é de graça. Sendo assim, não posso falar sobre o curso em si, mas posso comentar sobre a equipe de profissionais.

Conheci a empresa da Vanessa no ano passado, através da Julie, minha amiga/ naturóloga/ terapeuta /professora de Aromaterapia. Fiz o curso  de Life Coaching em março do ano passado, na Turma 10 e foi 10 mesmo! Sabe aquele tipo de coisa que você indica sem nenhum receio de fiasco? Então… é  esse curso! Além de ter a empresa na maior confiança, sou fã, admiradora, respeito e acredito fortemente no trabalho que a Vanessa faz. Aliás, a Vanessa é o tipo de pessoa que todo mundo deveria conhecer: além de ser linda e um encanto de pessoa, é super  inteligente, focada, competente, responsável e tem uma história de vida e de profissão de aplaudir em pé! Ela é demais – sem qualquer puxa-saquismo!

Na equipe tem obstetra, nutricionista, coaches, naturólogas e por aí vai. E por falar em naturólogas, quem faz parte da equipe também, é a Julie, que mencionei ali em cima. A Julie é outra super profissional em quem confia piamente, um amor de pessoa, encantadora e do tipo que te faz acreditar que tudo é possível, só de saber tudo o que ela já fez na vida.

Acho que deu pra perceber o quanto sou admiradora do trabalho de ambas, né? Por isso tudo que to louquinha pra fazer o curso, pois tenho certeza de que vale a pena. Antes disso, vale a pena ir à palestra, que acontecerá na próxima quinta-feira, dia 10 de janeiro, na casa matriz da empresa.

Pra quem se interessou, entra o no site e se informa melhor. Já fiz minha inscrição. Ah! E papais também são convidados! Esse é o tipo de evento que não dá pra perder, nossos bebês merecem, e a gente também!

 

Informe-se melhor: http://coachingparagravidas.com.br/

 

coachingparagravidas